1 – Transcrevemos abaixo Decreto No. 5.195, de 26 de agosto de 2004 (D.O.U. de 27.08.04) que regulamenta o art. 1º da Lei No. 10.925, de 23 de julho de 2004 :
DECRETO No.  5.195, DE 26 DE AGOSTO DE 2004
Dispõe sobre a redução a zero das alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP  e da
 COFINS incidentes na importação e na comercialização no mercado interno de
 adubos, fertilizantes e defensivos agropecuários, de que trata o art. 1o da
 Lei no 10.925, de 23 de julho de 2004, e dá outras providências.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no parágrafo único do art. 1o da Lei no 10.925, de 23 de julho de 2004,
D E C R E T A :
Art. 1o Ficam reduzidas a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – COFINS incidentes na  importação e sobre a receita bruta de venda no mercado interno de:
I – adubos ou fertilizantes classificados no Capítulo 31 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e suas matérias-primas;
II – defensivos agropecuários classificados na posição 38.08 da NCM e suas matérias-primas;
III – sementes e mudas destinadas à semeadura e plantio, em conformidade com o disposto na Lei no 10.711, de 5 de agosto de 2003, e produtos de natureza biológica  utilizados em sua produção;
IV – corretivo de solo de origem mineral classificado no Capítulo 25 da NCM;
V – feijões comuns (Phaseolus vulgaris), classificados nos códigos 0713.33.19, 0713.33.29, e 0713.33.99 da NCM, arroz descascado  (arroz “cargo” ou castanho),  classificado no código 1006.20 da NCM, arroz semibranqueado ou branqueado, mesmo polido ou brunido (glaceado), classificado no código 1006.30 da NCM e farinhas classificadas no código 1106.20 da NCM;
VI – inoculantes agrícolas produzidos a partir de bactérias fixadoras de nitrogênio, classificados no código 3002.90.99 da NCM;
VII – vacinas para medicina veterinária, classificadas no código 3002.30 da NCM.
Parágrafo único. O disposto no caput não se aplica:
I – quando os produtos classificados no Capítulo 31 da NCM forem próprios para uso veterinário;
II – na hipótese de as matérias-primas de que tratam os incisos I e II do caput não serem utilizadas no processo produtivo de adubos e fertilizantes, classificados no  Capítulo 31 da NCM, ou de defensivos agropecuários, classificados na posição 38.08 da NCM.
Art. 2o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir do dia 26 de julho de 2004.
Brasília, 26 de agosto de 2004; 183º da Independência e 116º da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Antonio Palocci Filho