Sob delegação da Abrasem e com a coordenação da APPS as empresas produtoras de sementes de milho e sorgo pronunciaram-se e posicionaram-se, mais uma vez, contrárias ao estabelecimento de limites de tolerância de qualidade sanitária das sementes de milho e sorgo, quando estes não estejam comprovadamente embasados cientificamente (PORTARIA No 47, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2009,que submete a consulta pública projeto de Instrução Normativa para introdução de níveis de tolerância de pragas para Pragas Não-Quarentenárias Regulamentadas – PNQR.)

Em anexo referidos argumentos e ponderações: